Caso não consiga visualizar este e-mail, acesse este link.
UTC - INFORMATIVO

Boletim de notícias mensal para os membros da UTC.

Junho, 2013   ★   Edição 2   ★   INFORMATIVO - UTC 2013

Assembleia de Constituição da UTC AL

Foi criada oficialmente no dia 6 de junho, nos escritórios da Veirano Advogados, a UTC America Latina. A Assembleia de Constituição contou com a presença de representantes de Furnas, Eletrosul, Grupo EDP Brasil, Elektro, Alcatel-Lucent e Arsitec, além da UTC USA representados pela própria Veirano. Foram indicados e investidos nos cargos Dymitr Wajsman como Diretor Presidente e Ronaldo Santarem como Diretor Vice Presidente e Diretor Financeiro.

Assinaram a Ata como Membros Fundadores os representantes de Furnas, Eletrosul, EDP, Elektro e UTC. No Conselho Diretor, foram eleitos como membros efetivos, a Sra. Connie Durcsak Presidente e CEO, representando a UTC; Sr. Andre Augusto Telles Moreira Diretor de Operações, representando a Elektro; Vítor Luiz Guitte Gardiman Gestor Executivo, representando a EDP; Ronaldo do Santos Custódio Diretor de Operações e Engenharia, representando a Eletrosul e Sergio Cardinali, Superintendente de Gestão de Negócios e de Participações de Furnas. Foi indicado e eleito Presidente do Conselho Diretor o Eng. Sergio Cardinali.

Também estiveram presentes na Assembleia o Eng. Paulo Henrique Soares da Alcatel-Lucent, Sergio Cardoso, da Arsitec e Getulio Soares, consultor da NEC.

Em breve estaremos divulgando os próximos passos da UTCAL.

★  Voltar ao topo  ★

ADVERTISEMENT - CISCO

Smart Grid: Um Tutorial sobre
Arquitetura e Padrões abertos para FAN

por Luis Filipe Silva - Engenheiro - Arquiteto de Soluções da Vertical de Energia da Cisco

Nesse tutorial vamos abordar, em uma série de capítulos, os assuntos
mais importantes sobre as soluções para Smart Grid FAN, tais como:

  • Capítulo 1.A importância da adoção de uma arquitetura escalável e baseada em padrões; (no informativo 1)
  • Capítulo 2. As soluções IP para FAN (Field Area Network);
  • Capítulo 3. Os protocolos IP regulamentados pelo IEEE/IETF/IPSO,etc. para FAN;
  • Capítulo 4. A camada de adaptação IPv6 para a FAN: 6LoWPAN;
  • Capítulo 5. O protocolo de roteamento da FAN que permite visibilidade IP até o ponto terminal (medidor): RPL;
  • Capítulo 6. A segurança da informação no ambiente padronizado IP
  • Capítulo 7. O gerenciamento de milhões de medidores e FANs de forma escalável e centralizada;

  • Capítulo 2. As soluções IP para FAN (Field Area Network);
    • Automação da medição
    • Automação da distribuição
    • Automação da força de trabalho

Sob a óptica de uma distribuidora de energia, a excelência operacional passa pela capacidade de automatizar e otimizar seus principais processos sobre uma infraestrutura de comunicação de dados, única, multiserviço, segura, flaxível, confiável e escalável. A FAN (Field Area Network) tem por objetivo desempenhar esse papel, conectando a NAN (Neighborhoor Area Network), representada pelos consumidores finais e dispositivos que compõem o grid de distribuição, aos pontos de presença da Distribuidora (via múltiplas opções de WAN) conforme exemplificado na figura abaixo:

Essa rede multiserviço é o habilitador de um novo patamar de excelência operacional na distribuição de energia, funcionando como base para a disponibilização de soluções e serviços tais como:

  • infraestrutura de medição inteligente (AMI – Advanced Metering Infrastructure),
  • automação da distribuição (DA – Distribution Automation),
  • automação da força de trabalho (WA – Workforce Automation),
  • gerenciamento em tempo real de ativos,
  • gerenciamento em tempo real da iluminação pública,
  • gerenciamento em tempo real da geração e armazenamento distribuídos,
  • gerenciamento em tempo real de pontos de recarga de veículos elétrico,
  • etc ...

A Infraestrutura de Medição Inteligente (AMI) é um assunto proeminente quando se fala em "Smart Grid", muitas vezes confundindo-se com este ... Contudo, o conceito de "Smart Grid" na distribuição abrange todas as "disciplinas" elencadas acima (e possivelmente mais tantas outras oportunidades para automação) e não somente AMI.

Pensando sob a ótica dos benefícios em curto prazo para as Distribuidoras e para os consumidores finais, provavelmente as soluções de automação da infraestrutura de distribuição da energia (DA) sejam aquelas que mereçam prioridade de adoção. Regulação Volt/Var e Isolamento de falhas e restauração de serviço são duas componentes desse conceito, as quais desempenham papel preponderante tanto sob a ótica de negóco da operadora quanto da qualidade do serviço prestado aos consumidores.

A Regulação Volt/Var é conseguida através de sensores das variáveis do grid que, conectados a FAN, permite que sistemas de controle centralizados e/ou distribuídos atuem em bancos de capacitores e transformadores de relação variável, proporcionando automatizar as tarefas de:

  • Regulação do Fator de Potência, melhorando a eficiência do abastecimento de energia, garantindo que a tensão e a corrente estão em fase quando fornecido ao cliente
  • Regulação da tensão de conservação quando em momentos de carga de pico, logra-se reduzir a carga total do sistema, reduzindo a tensão fornecida aos clientes para o nível mínimo exigido.

Estes dois procedimentos permitem o aumento da eficiência da infraestrutura de distribuição de energia, gerando ganhos econômicos significativos, tais como:

  • Redução das perdas de distribuição
  • Redução da carga, respeitando tolerância de tensão
  • Redução da energia reativa
  • Melhoria da confiabilidade
  • Redução de custos operacionais
  • Etc...

O Isolamento de Falhas e Restauração de Serviço visa lidar de forma automatizada com as condições de falha na rede de distribuição, detectando-as através de sensores ligados a FAN, e utilizando sistemas de controle centralizados e/ou distribuídos, isolando-as no menor segmento da grade possível, bem como restaurando o serviço o quanto antes ao maior número de usuários possível (enquanto a falha é isolada).

O sistema (inclusa a FAN) é projetado para minimizar os efeitos de falhas de rede elétrica, aumentando a confiabilidade, diminuindo o tempo de indisponibilidade para os consumidores , evitando penalidades para as operadoras e danos aos dispositivos que compõem o grid de distribuição. Dois índices famosos da indústria são positivamente impactados pelo emprego dessa nova tecnologia:

  • SAIDI - Indice de Duração Média de Interrupção
  • SAFI - Indice de Frequência Média de Interrupção

Por fim, a tão "badalada" solução AMI composta pelos medidores "inteligentes" equipados com módulos de interface de comunicação de dados IPv6 os quais se conectam aos Routers da FAN via camadas de enlaçe e físicas de Mesh RF e/ou Mesh PLC.

A medição do consumo automatizada, contudo, é apenas um dos serviços que podem ser prestados por essa solução. A capacidade ("inteligência") dos medidores permite vários outros serviços tais como:

  • Tarifação por tempo de uso e período de pico crítico
  • Desconexão/reconexão com limitação de carga
  • Programação do perfil de carga
  • Detecção de violação
  • Monitoramento de tensão
  • Capacidade de Registro de grandezas (Wh / VARh / W / VAR)
  • Medição bidirecional
  • Etc ...

A implementação paulatina, não somente da capacidade de medição eletrônica mas de todo um sistema de iteração com os clientes calcado em serviços WEB, vai promover uma revolução na experiência do cliente . Por outro lado, a quantidade de informações disponíveis sobre o consumo individual e o estado das variáveis nos pontos terminais transmitidos pelos medidores inteligentes permitirá o uso de ferramentas de Analytics o qual trará inumeros benefícios econômicos às distribuidoras tais como:

  • Produzir relatórios detalhados para simulação de condição do grid em tempo real
  • Melhorar a eficiência operacional
  • Aumentar a conservação de energia e eficiência através de melhor resposta à demanda e redução de tensão de conservação
  • Atingir o equilíbrio de energia entre oferta e demanda

Até o próximo capítulo...

★  Voltar ao topo  ★

ADVERTISEMENT - ASCENTY

DATA CENTER
O caminho seguro do Smart Grid

por Tiago Garbim - Diretor de Operações - ASCENTY

Os data centers são estruturas complexas projetadas para abrigar as aplicações e dados de forma segura e escalável. O avanço da tecnologia tem levado empresas e pessoas a dependerem cada vez mais do universo virtual. A dependência é tão grande que não conseguimos nos ver longe deste universo nem mesmo por poucos minutos em nosso dia que vai desde aplicações de alta criticidade (ERP, CRM, etc) até o desejo de obter satisfação pessoal por meio de compras online, acesso a redes sociais, compartilhamento de arquivos, músicas e vídeos.

A dependência da tecnologia aumenta a carência por soluções e ambientes preparados para dar segurança e disponibilidade às informações acompanha o mesmo ritmo de crescimento.

Visando a necessidade de crescimento e segurança da informação, os data centers se prepararam para ofertar produtos que suportem grandes negócios em ambientes de alta capacidade de armazenamento, transmissão de dados e escalabilidade energética. Isto inclui sistemas de energia totalmente redundantes, ar condicionado altamente ecológico, preparado para resfriar toda a gama de servidores, storages e equipamentos de rede, sistemas de incêndio de precisão e monitoramento altamente capacitado de todos os itens que configuram um ambiente de alta disponibilidade e confiabilidade.

Além da infraestrutura robusta, os produtos ofertados pelos data centers também garantem um nível de segurança e confiabilidade elevados, são eles: Colocation, Hosting, Conectividade e Cloud Computing.

Colocation

Uma estrutura sem ponto único de falha, totalmente redundante e pronta para comportar a demanda da infra estrutura de TI de muitas empresas de diversos segmentos. Basicamente são fornecidos espaço, energia, ar condicionado e conectividade de forma a garantir que a empresa consiga hospedar seus servidores em um ambiente projetado para isso, sem sofrer com quedas de energia, quebra do ar condicionado e queda do link internet.

Hosting

Além de se aproveitar das mesmas garantias que a infraestrutura que o data center detém, este serviço proporciona às empresas uma garantia adicional de confiabilidade e maior flexibilidade de negociação, uma vez que tudo pode ser fornecido pelo datacenter, desde servidores, switches, roteadores a serviços de administração até a gestão total do ambiente.

Cloud Computing

Muito tem se falado ao redor deste tema e muitas dúvidas surgem em torno deste assunto, tais como: Onde está minha aplicação? Meus dados estão guardados onde? Terei perda ou ganho de performance? Como poderei economizar utilizando a Cloud Computing?

Para desmistificar, vamos entender como funciona a tecnologia e como podemos ser beneficiados por ela.

Basicamente o conceito da Cloud Computing possui três principais pilares: Iaas (Infraestrutura como Serviço), PaaS (Plataforma como Serviço) e SaaS (Software como Serviço).

Nas três situações, a infraestrutura computacional tem de estar pronta para atender a grande demanda de crescimento flexível que as empresas e negócios demandam.
Uma estrutura computacional que suporta as soluções de cloud computing basicamente é segmentada em 5 aspectos: Servidores (Processamento e Memória), Storage (Disco), Sistema de Virtualização (Hypervisor), Sistema Operacional (Windows, Linux, etc) e Conectividade.

IaaS é uma estrutura pronta para entregar a capacidade computacional demandada por alguns negócios que decidiram por se abster de fazer grandes investimentos na compra de servidores, storages e demais equipamentos. Em poucos minutos é possível ter para uso uma estrutura pronta com a mesma capacidade computacional (cpu, memória e disco) que se teria na compra de equipamentos, com a facilidade de um pagamento mensal pelo uso.

PaaS são apliações prontas, em sua maioria customizáveis, que atendem a necessidade de crescimento rápido das empresas e negócios que precisam de soluções prontas e que exijam pouco conhecimento técnico de sua equipe interna para configurá-las.

SaaS é uma modalidade de serviço em que está disponível para aquisição e operacionalização de forma segmentada de uma determinada aplicação, e que o usuário possui um login e senha podendo usufruir de uma aplicação pronta a atender suas necessidades imediatas.

As soluções híbridas vêm para atender a crescente demanda das empresas de migrarem suas aplicações para ambientes seguros, mas que necessitam de um crescimento sazonal ou imediato. Com esta solução é possível fazer uma mescla dos produtos, sendo Colocation + Cloud ou Hosting + Cloud.

Datacenter e Smart Grid

A evolução do meio tecnológico tem levado os consumidores a terem uma necessidade ainda maior de terem suas informações precisas, seguras e em tempo real.
Muito tem se falado na evolução do Smart Grid, mas como será possível entregar ao consumidor tais informações se não forem levadas em conta a velocidade do crescimento, a necessidade de segurança e alta capacidade de armazenamento destes dados?
Os data centers vêm se preparando cada vez mais para atender a esta demanda. Seja por meio do Colocation, Hosting ou Soluções de Cloud Computing e Conectividade, esta é uma possibilidade flexível, escalável e segura de manter os dados e sistemas aptos a tornar isso uma realidade.

★  Voltar ao topo  ★

Anatel aprova medidas para viabilizar
políticas de inclusão digital - 06 de Junho de 2013


Logo - ANATEL

O Conselho Diretor da Anatel aprovou o novo Regulamento do Serviço Privado (SLP), que tem como finalidade viabilizar a implementação de políticas públicas de inclusão digital, estimulando, em especial, o programa Cidades Digitais, coordenado pelo Ministério das Comunicações.

O novo regulamento contribuirá para a ampliação da oferta de conexão à internet por parte das redes da administração pública direta ou indireta nas esferas federal, estadual, distrital e municipal, bem como de entidades sem fins lucrativos.

A nova regulamentação unifica sob um mesmo regime 15 serviços e simplifica os procedimentos para a obtenção das autorizações, facilitando a implementação de políticas públicas de inclusão digital pelos órgãos públicos e entidades sem fins lucrativos.

O conselheiro Jarbas Valente informou que as frequências de 2,5GHz e de 3,5GHz têm faixas destinadas ao SLP: 15MHz na primeira e 20MHz+20MHz na segunda. Ambas as faixas são extremamente sensíveis ao mercado pois as atendem tecnologias com alta taxa de transmissão, como o LTE e o WiMAX.

A autorização do SLP custa R$ 400,00 e permite a oferta de aplicações relacionadas a comunicação de dados, sinais de áudio e vídeo, de voz e de texto para uso do próprio autorizado ou para atendimento a determinados grupos de usuários selecionados por ele.

Com a autorização do SLP, os interessados podem implantar infraestrutura de conexão de rede com o objetivo de melhorar a gestão e o acesso da comunidade a diversos serviços de telecomunicações.

Na administração pública, possibilita a implantação de aplicativos de gestão para os setores financeiro, tributário, de saúde e educação; a capacitação de servidores públicos; o acesso da população aos serviços de governo eletrônico e a ampliação de pontos de acesso público à internet em praças, rodoviárias ou outros espaços.
Informação da página www.anatel.gov.br

"O conselheiro Jarbas Valente informou que as frequências de 2,5GHz e de 3,5GHz têm faixas destinadas ao SLP: 15MHz na primeira e 20MHz+20MHz na segunda." Ambas as faixas são extremamentes sensíveis ao mercado pois as atendem tecnologias com alta taxa de transmissão, como o LTE e o WiMAX."
Informação extraída da publicação do Teletime em 06/06.


Baixe aqui a apresentação do Conselheiro.

★  Voltar ao topo  ★

Três palestrantes brasileiros na
Conferência da UTC USA em Houston

Boa participação de profissionais brasileiros na Conferência de Houston:
Daniel Senna Guimaraes - Cemig D - City of future - CEMIG Experience
Agnaldo Wagner de Moura Braga - Cemig D - CEMIG Supply Policy
Luiz Fernando G. Vianna - FURNAS - IP/MPLS transformation in substations of 500 KV power line at
Furnas Centrais Elétricas

Além dos palestrantes, diversos profissionais da América Latina participaram do maior Congresso sobre Telecom e TI de missão crítica nas empresas de energia, água e gás.

★  Voltar ao topo  ★

Rápidas

Confirmada a realização da UTC América Latina Summit 2014 nos dias 2, 3 e 4 de abril de 2014 no Hotel Majestic em Florianópolis, SC, Brasil."

A Euro UTC vai realizar a sua Conferência de 2013 na cidade de Amsterdam, Holanda, nos dias 23, 24 e 25 de outubro de 2013. Veja na www.utc.org e clique EUTC.

★  Voltar ao topo  ★

UTILITIES TELECOM COUNCIL | UTC America Latina
* The Voice of Critical Infrastructure Communications *
Telefone: +55 21 2147-0600 Fax: +55 21 3208-3663
Av. Copacabana 928, Cob 01 | Rio de Janeiro, RJ 22060-002 Brazil