UTCAL NA UIT: DOCUMENTO ORGANIZADO PELA ASSOCIAÇÃO RECEBE NOVAS CONTRIBUIÇÕES

Reunião anterior na sede da UIT; em julho de 2020, todas as reuniões foram online.
O documento que poderá ser aceito como base para detalhar requisitos e sistemas de telecomunicações usados em utilities no mundo todo – resultado de uma iniciativa liderada pela UTCAL – ganhou novas contribuições em reuniões do grupo WP5A-2, do setor de radiocomunicação da União Internacional de Telecomunicações (ITU-R, na sigla em inglês), neste mês de julho. A nova versão do documento e o relatório das atividades realizadas no âmbito da UIT, ligada à ONU, será compartilhado com órgãos como Anatel, Aneel e Ministério de Minas e Energia.  
 
Antes mesmo dos encontros, realizados virtualmente de 20 a 30 de julho de 2020 com representantes de 194 países, a delegação do Canadá e a empresa Motorola Solutions enviaram sugestões, que foram incorporadas já para a avaliação inicial. O vice-presidente da UTCAL, Ronaldo Santarem e o consultor Clovis Baptista junto à UTC USA (Brett Kilbourne), Global UTC (Tracey Sheehan) e Euro UTC (Julian Stafford e Adrian Grilli), participaram ativamente das reuniões e consolidaram todas as informações recebidas. Outros especialistas de países como Estados Unidos e de companhias como a chinesa Huawei também contribuíram.   
 
“Nosso objetivo é tornar as demandas das utilities mais claras para todos. O caminho não é fácil, mas estamos satisfeitos com o andamento, subindo mais um degrau rumo à aprovação final do documento”, afirma Santarem.   
 
Até novembro deste ano, quando será realizada uma nova série de reuniões oficiais do grupo, os representantes da UTCAL vão planejar encontros para chegar a novas conclusões e melhorias para o documento.   
 
Desde maio de 2019, o “relatório”, ainda em suas versões iniciais, feito em parceria com a UTC Global, foi elevado à categoria de “Working Document”, em reunião na sede da UIT, em Genebra, na Suíça. A conquista, inédita, representou um grande avanço para alavancar o debate sobre as demandas das utilities entre os reguladores internacionais. Após passar pela avaliação de todos os integrantes do grupo de trabalho, sem que seja apontada a necessidade de ajustes, o documento poderá ser submetido para aprovação definitiva e publicação no site da entidade global.