Entrevistas do Mês

Um projeto pioneiro de rede com medidores inteligentes que usam tecnologia 4G/LTE foi implantado pela Elektro, do grupo Neoenergia, em parceria com a Nokia, em cidades do interior de São Paulo. O projeto beneficia mais de 73 mil clientes e vai alcançar cerca de 200 mil pessoas.

Os 73 mil medidores inteligentes possuem tecnologia 100% interoperável e estão em funcionamento na região de Atibaia e cidades de Bom Jesus dos Perdões e Nazaré Paulista, em São Paulo. A Newsletter UTCAL conversou sobre a iniciativa com o Superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Heron Fontana, e com o Gerente de Contas da Nokia, Aguinaldo Sousa.

Por um novo modelo

Segundo Heron Fontana, a expectativa é construir o modelo de distribuidora do futuro. Confira a entrevista:

UTCAL: Quais são os benefícios da instalação desses medidores inteligentes? Tem algum impacto de redução nas tarifas?

Heron Fontana: Os clientes serão beneficiados com o aumento da qualidade do fornecimento de energia elétrica, além da redução das perdas na distribuição (fraudes ou “gatos de energia”) e maior eficiência operacional, que são repassados para a tarifa. Além disso, as informações da rede e medição inteligente permitirão uma maior eficiência energética com o controle do consumo pelos clientes via portais digitais.

UTCAL: Que equipamento estão usando?

Heron Fontana: Medidores inteligentes com tecnologia PLC PRIME e RF Wi-SUN, sistema de automação inteligente (self-healing semi-centralizado), digitalização de subestações, rede celular 4G/LTE (em frequência licenciada de 3,5 GHz), geração distribuída nas residências (como parte do Programa de Eficiência Energética da Aneel), além de sistemas de tempo real integrados ao nosso Centro de Gerência de Smart Grids.

UTCAL: Quais são as expectativas futuras do projeto?

Heron Fontana: O projeto visa construir o modelo de distribuidora em que ela é a orquestradora do sistema elétrico (DSO, Distribution System Orchestrator) e não apenas a operadora da rede (DNO, Distribution Network Operator). Esse modelo permitirá o desenvolvimento de um modelo sustentável de geração e consumo de eletricidade, com a introdução dos recursos energéticos distribuídos em larga escala, como a geração fotovoltaica, sistemas de armazenamento residenciais e os veículos elétricos.

Uso de 4G na rede

Já para falar sobre a parceria técnica para a instalação da rede celular usada no projeto, a Newsletter UTCAL conversou com o Gerente de Contas responsável pela área de Utilities da Nokia, Aguinaldo Sousa:

UTCAL: O que envolve essa parceria com a Elektro?

Aguinaldo Sousa: Esta parceria posiciona a Nokia como a principal provedora de conectividade deste projeto “DSO Atibaia”. A Rede LTE privada provida pela Nokia cobre toda região do projeto e está preparada para suportar todo o tráfego de acesso, bem como o crescimento e expansão desta rede no futuro, tanto quanto número de dispositivos conectados como cobertura. A Nokia apoiou a Elektro desde a fase de projeto e concepção desta estrutura de telecomunicações, posicionando-se como líder de mercado, compartilhando sua experiência nos diversos cases que possuímos em nível global, sempre respeitando normas e padrões universais para aumentar o ganho, escalabilidade e proteção do investimento da Elektro.

UTCAL: Como a Nokia participa dessa iniciativa, com que equipamentos e tecnologia?

Aguinaldo Sousa: Com base nas necessidades do projeto, a Nokia desenvolveu uma rede LTE privada que permite à Elektro gerenciar toda estrutura de conectividade através de um sistema unificado. O NSP (Network Services Platform) é o responsável por essa camada de gerência e o Micro Core (ePC) é o responsável pela gestão da rede LTE. Ambos são gerenciados através de um único dashboard do MNS de Campinas. O projeto conta hoje com o fornecimento de seis eNodeBs modelo Air Scale que já suportam a evolução desta rede para o 5G, possibilitando à Elektro ampliar sua interação com o usuário final por meio de serviços e tecnologias IoT. Para o acesso estamos considerando aproximadamente 1000 CPE´s que receberão um sim card da rede LTE privada e irão conectar os medidores e religadores através de interface de rede ou serial. A estrutura ainda conta com uma rede NarrowBand que dá cobertura em locais mais remotos com custo reduzido.

UTCAL: De que forma essa iniciativa pode ser um exemplo para mostrar a sensibilidade quanto à questão do uso de telecomunicações nos setores críticos?

Aguinaldo Sousa: A Elektro está dando um passo à frente neste ponto. As Power Utilities necessitam de redes de telecomunicações com ampla cobertura, baixa latência e gerência dedicada para se cumprir o plano de evolução para smart metering e smart grid. Sem dúvidas, este projeto “DSO Atibaia” mostra que é possível implementar um ambiente 100% dedicado a este setor. Vamos buscar a replicação deste modelo em toda América Latina.

UTCAL: Até 2020 serão 75 mil clientes atendidos nas três cidades e a Neonergia pretende até 2030 fazer chegar as Smart Grids até 13,6 milhões de consumidores. A Nokia participará de outras fases dessa iniciativa? Quais são as expectativas futuras?

Aguinaldo Sousa: O ponto mais importante que proporcionará a evolução desta rede é o elemento de gerência unificado e a Nokia compreendeu bem as necessidades apontadas pela Neoenergia. Toda plataforma de gerência bem como o Core da rede LTE privada suportam essa expansão futura. Sem dúvidas, a Nokia deseja caminhar com a Neoenergia até a fase final do projeto e também de forma consultiva, orientando com as necessidades e demandas do mercado atual e futuras.

Gráficos do Centro de Gerência de Smart Grid da Neoenergia